Ly Sabas

Basta de poemas para depois... (Mário Quintana)

Textos



Inimigo domesticado


Deixarei, silente, o medo escorrer pelas pontas dos dedos.
Liberto, transformar-se-á em palavra,
E dirá coisas impuras, aprisionadas há tempos,
Revelando a lascívia dissimulada.

Deixarei que escrache com todos os meus desejos,
Que descreva o corpo, que desnude a alma.
E quando esgotarem-se os segredos,
Retomarei as rédeas do medo em minha palma.

Deixarei que se rebele em exíguos momentos,
Sem que perceba ser manipulado.
E o farei cúmplice de meus tormentos,
Inimigo rebelde domesticado.











Ly Sabas
Enviado por Ly Sabas em 12/07/2006
Alterado em 22/03/2008


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras